Sinop em destaque

Após 10 Anos, PC Desvenda Caso E Prende Homem Que Estuprou E Matou Menina

Passados 10 anos do desaparecimento da menina Sara Vitória Fogaça, 5 anos, a Polícia Civil de Sorriso conseguiu prender um homem que confessou ter estuprado e matado a garota numa construção em andamento na cidade (397 km de Cuiabá) em junho de 2010. A prisão do suspeito, identificado como Antônio Scobar, 58 anos, aconteceu nesta terça (8).

O delegado André Ribeiro contou que a polícia conseguiu desvendar o mistério em torno do sumiço da menina após receber uma informação há cerca de 15 dias sobre o caso e checar a sua veracidade.

“A Polícia Civil de Sorriso no dia de hoje conseguiu elucidar o crime mais bárbaro e cruel que aconteceu na cidade há 10 anos.

“Três investigadores trabalharam incansavelmente nas últimas semanas. Identificamos uma pessoa suspeita e representamos pela prisão dele e o juiz decretou a prisão temporária”, relatou ele, dizendo que após receber a informação conseguiu localizar testemunhas e chegar ao suspeito.

Segundo o delegado, o homem durante interrogatório, que foi gravado e filmado, confessou o crime e detalhou tudo que aconteceu no dia do desaparecimento de Sara Fogaça, em 1º de junho de 2010.

“Apesar de ter se passado 10 anos, ele ainda se lembra com riqueza de detalhes do dia”, contou André Ribeiro.

O homem, à época, trabalhava numa construção e viu a menina passar pela região. Ele relatou à polícia que ofereceu carona a ela numa bicicleta, ela subiu na garupa e ele a levou até a obra. Lá o homem a estuprou e depois a matou asfixiada. No período do crime, o suspeito trabalhava como pedreiro.

“Ele contou o que ele fez com ela na obra e em seguida, claro, ela gritou e chorou, e, por isso, ele apertou o pescoço dela e acabou matando asfixiada”, revelou o delegado ao site.

Depois de matar Sara, Antônio Scobar colocou o corpo em um saco de estopa, enterrou num terreno próximo e fugiu para o Estado de Mato Grosso do Sul. Mas há pouco tempo ele retornou a Sorriso e atualmente vivia de recolher latinhas para reciclagem.

O homem ainda disse às autoridades policias que está arrependido e que a confissão do crime tirou um peso de suas costas.

O homem vai responder pelos crimes de estupro, homicídio e ocultação de cadáver.

A Polícia Civil de Sorriso entrou em contato com a mãe da menina e relatou a situação. A mulher ainda vive na cidade e gostaria de enterrar o corpo da filha.

Nesta quinta, policiais farão diligência no local indicado pelo suspeito, um terreno baldio. Conforme o delegado, apensar da região ter mudado bastante em 10 anos e contar com muitas residência, a área onde estaria enterrado o corpo não não há construção.

O caso

A menina Sara Vitória Fogaça Paim, na época com 5 anos, desapareceu nas proximidades do Estádio Municipal Egídio Preima, em Sorriso. À época a polícia realizou várias buscas, até mesmo escavações dentro do estádio, mas nada foi encontrado. O caso, segundo o delegado, mobilizou a cidade, que parou em busca da menina.

Segundo a mãe da garotinha relatou à imprensa de Sorriso em junho de 2020, que Sara estava brincando na rua nas proximidades da residência, quando desapareceu.

Houve uma notícia de que ela teria sido vista foi dentro do estádio brincando com outras crianças. A Perícia Técnica chegou a analisar manchas de sangue nas paredes de um barraco existente dentro do complexo, mas não foi confirmado se tratar de sangue da menina. Todos os anos, segundo o delegado, a mãe dava entrevista falando do desaparecimento da filha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *