Sinop em Destaque

Cozinheiro é preso por dopar e estuprar homens.

A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira (7), um cozinheiro suspeito de dopar e estuprar homens no Parque da Cidade, em Brasília. Segundo a investigação, João Batista Alves Bispo aplicava o golpe conhecido como “boa noite, Cinderela”, em vítimas com idades entre 25 e 40 anos.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, após os estupros, o agressor roubava os pertences das vítimas, como celular, carteira e dinheiro. Até a publicação desta reportagem, a equipe da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul) havia identificado três vítimas do golpe.

João Batista Alves Bispo foi detido na própria casa, em Planaltina. Os policiais cumpriram um mandado de prisão preventiva expedido pela 5ª Vara Criminal de Brasília. Ele vai responder por roubo circunstanciado e estupro de vulnerável.

ENTRE EM CONTATO PELO LINK ABAIXO:

https://api.whatsapp.com/send?phone=5566999652367&text=Ol%C3%A1%20estou%20acessando%20atrav%C3%A9s%20do%20Site%20Sinop%20em%20destaque%2C%20gostaria%20de%20fazer%20um%20pedido%2C%20obrigado%20%20

Segundo o delegado Maurício Iacozzili, o suspeito trabalhava em um restaurante na Asa Sul e já foi indiciado em outros dois inquéritos, por latrocínio, estupro e roubo. O investigador disse à reportagem que João Batista Alves Bispo conhecia as vítimas na rua, “fazia amizade”, e depois agia.

“Ele levava as vítimas para um local no parque da cidade, que é famoso por encontros de homossexuais que fazem sexo ao ar livre.”

De acordo com as investigações, em janeiro, uma das vítimas sofreu overdose da medicação usada para o “boa noite, Cinderela” e morreu. Em maio, o agressor também roubou um celular e foi reconhecido pelo dono do aparelho.

Nas buscas realizadas na residência do suspeito, os policiais encontraram três frascos de medicamentos usados para dopar as vítimas, além de dois celulares roubados. Os proprietários dos aparelhos serão intimados e, caso o suspeito seja reconhecido, ele será indiciado por mais dois crimes.

Segundo a Polícia Civil, João Batista confessou parte dos crimes. Caso seja condenado por todos os delitos, a pena chega a 30 anos de prisão.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *