Sinop em Destaque

Assassino de agrônomo foge de cadeia, mas é recapturado.

O assassino do agrônomo Vinicius Augusto de Souza, 25 anos, morto em dezembro de 2019, em Colíder (a 633 Km de Cuiabá) foi recapturado pela polícia no  município de Itanhangá (a 643 de Cuiabá). O bandido foi encaminhado para a delegacia de Polícia Civil em Tapurah (a 429 Km de Cuiabá), de onde conseguir fugir depois de cortar dois cadeados. 

Através de uma denúncia anônima, a polícia descobriu o paradeiro do homem e em menos de 24 horas da sua fuga, ele foi encontrado esperando o pai para dar sequência à fuga. 

No horário e local marcado para o resgate do assassino, os policiais chegaram e acabaram prendendo, em um Cruze, o pai e um passageiro. Inicialmente, eles negaram que estariam fazendo o resgate do assassino, mas depois confessaram a versão do acusado. 

Os três foram encaminhados para a delegacia em Tapurah e depois para Sorriso (a 398 Km de Cuiabá). Com 22 anos, o homem possui passagem por tráfico e homicídio qualificado.

RELEMBRE O CASO 

A Polícia Civil em Colíder (650 km ao norte de Cuiabá) cumpriu na última terça-feira (29) mandados judiciais dentro da Operação Sicários que investiga o homicídio de um engenheiro agrônomo ocorrido na cidade, no mês de dezembro do ano passado.

Foram cumpridos dois mandados de prisão temporária e um de busca e apreensão contra os suspeitos do homicídio. Um dos investigados foi preso na cidade de Itanhangá e o outro em Colíder. Ambos têm 22 anos e possuem passagens por tráfico de drogas e homicídio qualificado.

De acordo com o delegado Eugênio Rudy Jr., antes de representar pela prisão temporária dos investigados, eles foram interrogados na delegacia e após a oitiva, um deles foragiu de Colíder.

Durante o cumprimento da prisão em Itanhangá, o suspeito tentou fugir e na perseguição a ele, um dos investigadores foi atacado por um cachorro e teve ferimentos.

O policial foi medicado em Itanhangá e passa bem.

O delegado informou que as investigações prosseguem para identificar o envolvimento de outras pessoas o crime. As ivnestigações apontam que as duas pessoas presas receberam vantagens financeiras para executar o engenheiro agrônomo. As investigações prosseguem na tentativa de descobrir o mandante.

Fonte: FOLHA MAX

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *