Sinop em destaque


O
 calendário da 6ª parcela do auxílio emergencial está previsto para começar no dia 17 de setembro, já com o novo valor de R$ 300 (R$ 600 para mães solo), anunciado pelo governo federal na ocasião de prorrogação do benefício até dezembro.

Como de costume, a Caixa Econômica Federal pagará a sexta parcela primeiro para os cadastrados no Bolsa Família, sendo que no dia 17 receberão os beneficiários com NIS (Número de Identificação Social) terminado em 1. Confira abaixo o calendário completo:

Final do NISDia do recebimento
117 de setembro
218 de setembro
321 de setembro
422 de setembro
523 de setembro
624 de setembro
725 de setembro
828 de setembro
929 de setembro
030 de setembro

A 6ª parcela, no valor de R$ 300, deve começar a ser paga aos beneficiários do auxílio emergencial que não são cadastrados no Bolsa Família logo na sequência. A princípio, devem receber os beneficiários que receberam a primeira a parcela em abril e fazem aniversário em janeiro. O calendário completo, que ainda não foi divulgado, deve evoluir conforme o mês de aniversário e a data do recebimento da primeira parcela.

Na Medida Provisória que oficializa a prorrogação do auxílio, publicada no Diário Oficial da União de 3 de setembro, o governo federal excluiu alguns grupos do recebimento a partir da sexta parcela, como dependentes químicos, detentos, residentes no exterior e trabalhadores que conseguiram emprego formal. 

Confira abaixo quem não receberá as novas parcelas:

  1. Conseguiu emprego formal após o recebimento do Auxílio Emergencial
  2. Recebeu benefício previdenciário, seguro-desemprego ou programa de transferência de renda federal após o recebimento de Auxílio Emergencial (exceto Bolsa Família)
  3. Tem renda mensal acima de meio salário mínimo por pessoa e renda familiar mensal total acima de três salários mínimos
  4. Mora no exterior
  5. Recebeu em 2019 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70
  6. Tinha em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedades de bens ou direitos no valor total superior a R$ 300 mil reais
  7. No ano de 2019 recebeu rendimentos isentos não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte cuja soma seja superior a R$ 40 mil
  8. Tenha sido declarado como dependente no Imposto de Renda de alguém que se enquadre nas hipóteses dos itens 5, 6 ou 7 acima
  9. Esteja preso em regime fechado
  10. Tenha menos de 18 anos, exceto em caso de mães adolescentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *